17

– Não quero me aproveitar de você, Dee Dee – disse eu. – Nem sempre sou bom com mulheres.
– Já disse que te amo.
– Não faça isso. Não me ame.
– Tá legal – disse ela – , não vou amar você. Vou quase amar. Tá bom assim?
– Melhor assim.

Acabamos nosso vinho e fomos pra cama.

Excerto do livro “Mulheres”, de Charles Bukowski.

Não me poupe
Ludov

“Até onde eu me lembro
você mandava cartas
me contando como é que havia sido seu dia
Até onde eu me lembro
eu sempre lhe respondia

Até onde eu me lembro
você veio sem grana
pra morar de favor na casa de um amigo
Até onde eu me lembro
você vivia comigo

O que aconteceu?
eu preciso descobrir
Então não me poupe
Tudo que eu disser
você pode usar contra mim

Até onde eu me lembro
você achava graça
na bagunça da casa
na desordem da pia
Até onde eu me lembro
a gente se divertia

Até onde eu me lembro
você nunca falava
dos seus planos futuros
dos problemas da vida
Até onde eu me lembro
eu era a garantia

O que aconteceu?
eu preciso entender
Então não me poupe
Tudo que eu disser
você pode usar contra mim
Seja o que Deus quiser
como o diabo quer

Até onde eu me lembro
você fez sua mala
com as roupas mais velhas
com o livro que lia
Até onde eu me lembro
a mala estava vazia

Te levei até a porta
mas não quis esperar
Te empurrei uns trocados
nem desci as escadas
Até onde eu me lembro
era você quem chorava

O que aconteceu?
eu preciso esquecer
Então não me poupe
Tudo que eu disser
você pode usar contra mim
Seja o que Deus quiser
como o diabo quer”

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − dez =