Sobre ser gorda

"Dentro de cada mulher gorda há uma mulher magra suplicando para sair. Fora de cada mulher gorda há uma mulher mais gorda ainda suplicando para entrar."
“Dentro de cada mulher gorda há uma mulher magra suplicando para sair. Fora de cada mulher gorda há uma mulher mais gorda ainda suplicando para entrar.”

Existe um preconceito velado contra a obesidade. Na verdade, dificilmente os homens o sentem. Podem ser gordos inteligentes ou ricos ou oferecem tantos outros atrativos. Quem sofre o problema com maior intensidade são as mulheres. As mulheres gordas. O leitor pode se escandalizar com o uso da palavra gorda. Os eufemismos mais comuns são: cheinha, forte, grande e, o mais ousado, gordinha.
Geralmente, acham que a gorda (odeio a palavra obesa) não tem força de vontade. Nem caráter. Nem vergonha na cara. A gorda é um pária; o excesso de peso, um divisor de águas. O próprio adjetivo é um palavrão. Ninguém se importa com o sofrimento ou a humilhação da gorda. Acham que ela é gorda porque quer.

Observem o olhar triste das moças gordas varrendo as vitrines da moda. Os figurinos são para as magras. Alguns vendedores ainda sem se alterar: “Aqui é só pra pessoas normais, madame”. E a gorda se afasta engolindo o ultraje. Restam-lhes as lojas especializadas ou as costureirinhas de bairro. Para mim, anormal é o tratamento do vendedor.

A obesidade é democrática, não faz diferença de classe. Há gordas ricas e gordas pobres. Todas sentem a mesma reprovação silenciosa da sociedade. Existem gordas belas, mas, se a beleza é notada, há sempre um apêndice ao comentário: “O rosto é lindo, pena que seja gorda”.

Excerto do livro “As Esganadas” de Jô Soares, escrito pela “jornalista” Diana de Souza durante a década de 1930.

Qualquer semelhança é mera coincidência…

Comments: 1

  1. quanto tempo não vinha aqui…muitos posts novos!
    concordo plenamente com esse lance de que só as mulheres gordas é que sofrem o preconceito…é uma pressão para que sejamos belas!! e ser bela é ser magra de cabelo liso e com a cara maquiada. Sério! eu ando bastante cansada disso…desisti de ficar magrela, quero chegar ao peso que me sinta bem, nunca serei magrela, sou mulher brasileira, tenho pernas, bunda e peito. Estou deixando meu cabelo natural voltar também, cansei da escravidão da chapinha e química para alisar. Outro dia li uma frase que achei sensacional: "em tempos de chapinha quem tem black é rainha!" É isso ai! Sejamos nossas próprias rainhas e nosso reinado (nosso corpo) somos nós quem dizemos se é bonito ou não!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =