História urbana

Estava de bobeira no computador quando minha mãe me chamou para ver algo no quintal. Pela forma com que ela me chamou, parecia urgente.

No fim do ano passado, uma família de rolinhas escolheu o meu quintal para construir seu ninho. Até agora, a família já deu quatro crias.

Minha mãe me chamou para assistir a Mamãe e o Papai Rolinha ensinando ao filhote como voar. Ficamos na janela por um bom tempo, analisando os passarinhos, o quanto os pais se esmeravam para o filhote dar seus primeiros vôos, as tentativas fracassadas do filhote (ele caiu do muro várias vezes, tadiiinho), o medo que o filhote teve em seguir os pais quando voavam mais longe para encorajá-lo a seguí-los,

A respeito disso, tirei as seguintes conclusões:

  1. Não importa o quão longe você vá, seus primeiros passos sempre serão ajudados e encorajados por seus pais;
  2. Tente, tente, tente, tente até você conseguir o que precisa e deseja!
  3. Mesmo numa rua asfaltada, sem árvore e com cimento no quintal, minha casa pode abrigar passarinhos sem gaiola! Eles ficam porque querem, porque gostam, porque se sentem seguros aqui. Voam longe, têm filhotes e visitam outras vizinhanças, mas SEMPRE voltam porque AQUI é o lar deles!

Sorte a minha por ter tudo isso no meu quintal…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + cinco =