Embriaga-te!

Charles Baudelaire
(1821-1867)

Embriaga-te.
Deves andar sempre bêbado.
É a única solução.
Para não sentires o tremendo fardo do tempo que te pesa sobre os ombros e te verga ao encontro da terra, deves embriagar-te sem cessar.
Com vinho, com poesia ou com a virtude. Escolhe tu, mas embriaga-te.
E se alguma vez, nos degraus de um palácio, sobre as ervas de uma vala, na solidão morna do teu quarto, tu acordares com a embriaguez atenuada, pergunta ao vento, à onda, à estrela, à ave, ao relógio, a tudo o que canta, a tudo o que fala; pergunta-lhes que horas são: São horas de te embriagares.
Para não seres como os escravos martirizados do Tempo, embriaga-te, embriaga-te sem descanso. Com vinho, com Poesia, ou com a virtude.

Comments: 1

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =